Introdução

Introdução

O mercado de trabalho do arranjador é bem amplo, apesar de não parecer. Com o conteúdo deste curso, dado até o momento, você consegue facilmente arranjar para qualquer banda. Contudo, o mercado vai além de um arranjo escrito, hoje você tem que arranjar, gravar e mixar.

Veja alguns exemplos de mercado de trabalho:

 

Banda

 

Se você trabalha com banda e seu intuito é fazer um arranjo para ser tocado ao vivo, então você já possui todas as ferramentas necessárias para escrever o seu arranjo. Aliás, não só ao vivo como gravação também, pois você pode receber uma guia de um produtor e o mesmo pedir para você um arranjo escrito para uma banda poder gravar. Este tipo de situação não é comum, mas pode acontecer.

 

Música de Câmara

 

Geralmente é voltado para música clássica, mas é perfeitamente possível você arranjar uma música popular em diversas formações como quinteto, quarteto, trio e duo. Não é muito comum ter a chamada cozinha em uma música de câmara, mas você pode ter formações com percussão como piano, violão e vibrafone ou piano, vibrafone e marimba. Inclusive formações estranhas como flauta doce, violino e escaleta. Enfim, tudo vai depender da instrumentação disponível.

 

Gravação

 

Esta é a parte mais ampla do mercado de trabalho, pois com gravação você já tem o seu arranjo pronto, ou seja, pode ser tocado em qualquer lugar. Hoje em dia o arranjador tem que saber gravar e mixar, não basta só planejar e escrever o seu arranjo, tem que dominar softwares e outras ferramentas também. Este mercado é o mais tradicional, pois você pode gravar seu arranjo na sua casa, dentro do seu quarto.

Além da gravação, você deve ter conhecimento do uso de instrumentos virtuais e samples (loop), pois nem sempre a verba é suficiente para pagar os músicos, além disso, você pode estar fazendo uma pré-produção, ou seja, uma guia para chegar no estúdio e o músico ouvir como é a sua ideia inicial. Ou um arranjo sequenciado, já que os instrumentos virtuais de hoje em dia estão cada vez mais realistas.

 

Arranjo x Produção

 

Antes de mais nada, este curso é de arranjo e não de produção. Em um curso de produção você vai aprender a produzir uma música utilizando softwares de gravação, técnicas de mixagem, como microfonar instrumentos, tipos de microfone e por aí vai. Todo produtor é arranjador, mas nem todo arranjador é produtor, pois são funções bem distintas. O arranjador atual deve ser um pouco produtor, ou ter conhecimentos de produção musical, pois o mercado exige que você não só arranje suas músicas, mas que tenha seu arranjo sequenciado, gravado e mixado também.

Aqui, nesta parte do curso de arranjo, você vai aprender a usar instrumentos virtuais e o básico da gravação para que você possa produzir seu arranjo de forma prática e objetiva.

 
© Universidade Michael Machado, todos os direitos reservados.