Introdução à Percussão

A percussão é um mundo bem extenso e quando digo extenso eu quero dizer que o céu é o limite, pois tudo pode virar percussão, até uma simples caixa de fósforo. Alguns percussionistas criam seus próprios instrumentos, mas aqui no curso veremos os mais tradicionais.

Outro ponto que devemos questionar é sobre a notação. Será que vale a pena escrever para esses instrumentos?

Bom, tudo depende do contexto. Se for um ritmo tradicional, como samba, maracatu, baião ou qualquer ritmo popular, eu não escrevo, dou liberdade para o músico criar, pois ele sabe mais do que eu. No máximo escrevo o ritmo que eu quero na partitura, além das convenções, é claro. Porém, quando eu quero algo específico, aí sim a escrita se faz necessária. Todavia, deixe o músico agregar valor à sua música, lembre-se que ele é coautor da sua produção.

Aqui vai um vídeo do programa Por Dentro da Produção onde o percussionista Pretinho da Serrinha fala um pouco sobre o processo de criação da percussão no arranjo da música Timoneiro.

Partitura do Arranjo

 
© Universidade Michael Machado, todos os direitos reservados.