Inversão do II V (continuação)

Neste artigo vou dar continuidade no assunto da inversão do II V. Caso não tenha visto o vídeo ainda, vou colocar ele aqui embaixo.

 

Com a tecnologia cada vez mais acessível fica muito mais fácil estudar harmonia, pois você consegue gravar a melodia e a sua harmonização. E, usando alguns instrumentos virtuais, o arranjo fica bem mais fácil.

Para se ter uma ideia de como a inversão do II V soa junto com uma banda ou grupo de instrumentos, eu fiz um pequeno arranjo da música folclórica “Meu Galinho”.

 

Analisando a Melodia

 

A primeira coisa que a gente deve fazer é analisar a estrutura da melodia, assim a gente pode definir algumas sonoridades harmônicas contrastantes.

A versão da minha partitura é da Showcante Música. A versão dela está em fá maior e em 3/4.

Ao separar por frases, nós temos:

 

Veja que a primeira frase não possui a sensível, o que me permite trabalhar modalmente, no meu caso eu fiz em Fá mixolídio.

 

Na segunda frase, para contrastar, fiz algo mais rebuscado e com muito mais acorde.

 

Mudança de Compasso

 

Sendo o compasso em 3/4, como disse anteriormente, e no estilo de valsa, resolvi mudar o compasso. Como eu quis fazer algo com um toque abrasileirado resolvi fazer a minha em 2/4. Para isso eu crie um groove de bateria + baixo.

 

Aqui no blog tem bastante material sobre isso, é só clicar aqui https://michaelmachado.com.br/blog/arranjo/

 

Harmonia

 

Agora chegamos no ponto principal. Como falei, a melodia não possui a sensível, assim eu posso trabalhar com o modo mixolídio. Para isso, basta usar a acordes com a nota mi bemol. No meu caso eu usei apenas um acorde de F7. O motivo de ter apenas somente um acorde é para o groove ter mais destaque. Na segunda frase fiz ao contrário, coloquei bastante acorde para gerar contraste. Comecei fazendo uma marcha harmônica e depois fiz uma harmonização não funcional usando o II V invertido para deixar sua sonoridade fraca.

Ouça a melodia e o acompanhamento do piano em um andamento mais lento para ouvir bem a sonoridade de cada acorde.

 

Veja que o II V inserido no meio de uma progressão não funcional praticamente passa sem soar II V.

 

Gostou? Comente!

Tem dúvidas? Pergunte!

Até a próxima!

 

 

 

 

 

12 de fevereiro de 2019

2 respostas em "Inversão do II V (continuação)"

  1. Só tenho uma coisa a dizer: mestre é mestre!!!

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Universidade Michael Machado, todos os direitos reservados.