Drop, mais que uma visão do bloco.

Qualquer curso de arranjo ensina a técnica em bloco, é a técnica mais básica. Muito usado no jazz, essa técnica é simples, funcional e rápida, você faz arranjo em minutos (sim, minutos!).

O aluno de arranjo tem que entender que só existe dois tipos de escrita, a polifônica e a homofônica. A técnica polifônica é a mais complexa deixando seu arranjo mais refinado. Por outro lado, a homofonia é mais simples e a mais usada. No demais, o groove da base complementa o arranjo.

Existe uma técnica bem simples para escrita em bloco, é a técnica do drop. A forma mais comum de se escrever uma melodia em bloco é na sua forma cerrada, ou seja, sua ordem direta.

Existem outras possibilidades de sonoridades para a mesma textura, aí é que o drop entra em ação. Drop significa cair, ou seja, “cai” uma oitava a nota do bloco.

Drop

 

Essa técnica não serve só para arranjo, serve também para montar acordes em instrumentos harmônicos,  a galera da guitarra usa bastante (é só digitar drop 2 chords no Google).

Vou usar um trecho da música Lua, Luá como exemplo na seguinte instrumentação: 2 flautas, 1 clarineta, 1 trompa e um violão.

 

Lua 1

 

Sem violão

Com violão

 

lua 2

 

Sem violão

Com violão

 

Se uma pequena mudança de posição muda a sonoridade do acorde, imagina o timbre? Bom, essa fica para o próximo artigo.

 

Gostou? Comente!

Tem dúvidas? Pergunte!

Até a próxima!

6 de fevereiro de 2019

1 respostas em "Drop, mais que uma visão do bloco."

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Universidade Michael Machado, todos os direitos reservados. CNPJ: 32.844.874/0001-11
X