Clichê Harmônico

Quando se fala do sistema tonal, já penso em clichê naturalmente. TODAS as progressões do sistema tonal são clichês, são quase 500 anos de música tonal. Nesse post eu vou mostrar alguns dos grandes clichês harmônicos usados pelos compositores de Hollywood.

A progressão I IV

Todo compositor sabe que esses dois acordes salvam vidas. Se você tiver um trabalho para entregar em menos de 1 hora, toque esses dois acordes e estará resolvido o seu problema. A maioria dos grandes temas é criado a partir desses dois acordes (O Mestre John Williams que o diga).

Vou começar com a trilha do filme Por Amor (For Love Of The Game) composta por Basil Poledouris.

Basicamente um minuto de música só com dois acordes (I IV) e melodias (não é o tema) em timbres diferentes. A orquestração, com sua riqueza de timbres, ajuda a criar uma atmosfera onde dois acordes não soam monótonos.

A próxima música tem a sonoridade mais voltada pro country. Esse exemplo é da trilha do filme Carros e a faixa é McQueen and Sally composta por Randy Newman. O tema é basicamente criado sobre o I e IV.

Não vou deixar compositor brasileiro de fora desse clichê harmônico. Antonio Pinto também usa do bom e velho clichê. A música, que é o tema do filme A Central do Brasil, está na tonalidade menor.

Eu também não vou ficar do lado de fora do barco. A música Memories (que está no player) foi composta usando o I IV.

A progressão Im bVI

Essa, sem dúvida, é a progressão MAIS usada pelos compositores de Hollywood e na música pop em geral. Montei um quadro com três caminhos harmônicos mais usados. A tonalidade do exemplo será em ré menor (a mesma que o Hans Zimmer usa em todos os filmes).

Quadro

Uma trilha que está repleta desses acordes é do filme Piratas do Caribe. Aqui vai o He´s a Pirate composta por Klaus Badelt (ou Hans Zimmer? Vai saber).

A trilha do Filme Senhor dos Anéis não pode ficar de fora, ela está recheada desses acordes. A música escolhida é The Last March of the Ents.

Marco Beltrami, na trilha do filme Os Indomáveis (3.10.to.Yuma), também usa do bom e velho clichê.

Essa é possível baixar a grade orquestral completa na internet. Baixe aqui

John Williams com a música Battle Of Heroes (Guerra nas Estrelas).

Relação pela Mediante

Esse é outro clichê que os compositores de hollywood usam e abusam. Sua relação é feita por terças (por isso o nome mediante), olha o quadro abaixo:

Quadro 2

Vou começar com a música Kyrie For The Magdalene de Richard Harvey que faz parte da trilha do filme O Código Da Vinci assinada pelo Hans Zimmer. A música está em ré menor e a modulação acontece aos 25s. Outra modulação pela mediante acontece em 1m25s.

A próxima música é uma porrada na orelha. É a trilha do filme Controle Absoluto (Eagle Eye) composta pelo Brian Tyler.

A relação pela mediante também pode ser cromática utilizando tanto a terça menor como maior. A terça (maior ou menor) do acorde pode virar fundamental, terça ou quinta de qualquer acorde, veja o quadro abaixo:

Quadro 3

Se é possível fazer isso com a terça, por que eu não posso fazer isso com as outras notas da tríade? Qualquer nota da tríade pode ser nota de qualquer acorde. Veja o quadro abaixo:

Quadro 4

Se juntarmos todas as possibilidade, nós temos acordes pra chuchu.

Quadro 5

No tema do filme Senhores do Crime composta pelo Howard Shore, temos um bom exemplo do uso dessa técnica. A harmonia é Gm Eb e depois ele utiliza um Ebm.

Redução 1

A próxima música faz parte da trilha do filme O Juiz composta por Alan Silvestri que também usa e abusa dessa técnica.

Redução 2

Conclusão

Clichê é sinônimo de muito usado, repetitivo. Entretanto, não devemos achá-lo vulgar, e sim tirar proveito disso. Mostrei nesse post que os grandes compositores de Hollywood utilizam da mesma linguagem harmônica e alguns utilizam até a mesma melodia.

Podemos afirmar que essas linguagens harmônicas se firmaram como padrões na música incidental de Hollywood e que devemos utilizá-las assim como usam no Jazz, bossa, chorinho entre outros estilos.

Até a próxima

6 de fevereiro de 2019

8 respostas em "Clichê Harmônico"

  1. Muito obrigado. Isso ajuda bastante. São técnicas simples porém bem eficientes e que nao podemos deixar de lado.

  2. Começo a entender a mente destes grandes compositores graças a você Michael, obrigado!

  3. Achei interessante o post, eu não entendo nada de harmonia.. vc tem algum livro que recomendaria? Algo aplicado ao violão e iniciante. Obrigado

  4. bastante profissional, gostei muito, gostaria de adquirir alguns material, exemplo caminho armônico ou progressões armônicas, de todas tonalidades, para violão. obrigado.

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Universidade Michael Machado, todos os direitos reservados.